Lauro Corona completaria 60 anos nesta data

Compartilhe!
Lauro Corona

Lauro Corona colecionou grandes sucessos ao longo dos anos 80 l Foto: Vírgula

Hoje se comemora o 60º aniversário de Lauro Corona, considerado um dos grandes galãs da TV brasileira no fim dos anos 70 e durante toda a década de 80. O ator teve uma carreira de sucesso, interrompida quando tinha apenas 32 anos.

Se continuasse vivo, Lauro Corona, um dos maiores galãs da história da televisão brasileira, estaria completando 60 anos neste dia 6 de julho. O ator, de sucessos como “Dancin’ Days” e “Baila Comigo”, morreu em 20 de julho de 1989, com apenas 32 anos. Embora a doença nunca tenha sido admitida por sua família ou por ele próprio, é sabido que o artista foi vítima da Aids.

Eu me lembro quando, ainda criança, vi e escutei a notícia da sua morte em um telejornal, à tarde. Na época Corona era muito conhecido e seu falecimento causou grande comoção. Em nenhum momento foi mencionada a palavra Aids, e sim “infecção generalizada”, embora todos comentassem que o ator era soropositivo. Daí que por algum tempo associei “infecção generalizada” a uma possível morte pela fatal doença que levou outras estrelas das telas, como Caíque Ferreira e Cláudia Magno.

Nascido no Rio de Janeiro em 6 de julho de 1957, Corona começou como modelo, mas rapidamente foi descoberto em uma peça de teatro, em 1977, e convidado para fazer um especial na TV Globo, onde permaneceu até o final da vida. Sua estreia em novelas ocorreu em “Dancin’ Days” (1978), fenômeno de audiência que rendeu ao artista o prêmio APCA como melhor ator.

Lauro Corona

Lauro Corona ao lado das atrizes Malu Madder, Lídia Brondi e Lucélia Santos l Fotos: Vírgula, Blog Lídia Brondi e Blog LH

Elevado à categoria de ídolo e galã, possivelmente o maior de toda a década de 80, o ator atingiu uma grande popularidade, especialmente entre o público feminino, que lotava a caixa postal da Globo. Um dos grandes sucessos de Corona na emissora foi a minissérie “Memórias de um Gigolô”, considerado seu melhor trabalho, no qual formava junto com Bruna Lombardi e Ney Latorraca o trio protagônico que no cinema fora interpretado por Claúdio Cavalcanti, Rossana Ghessa e Jece Valadão.

Além das novelas, o jovem galã também se aventurou em outras áreas, como o cinema — atuou nos filmes O Sonho Não Acabou e Bete Balanço — e a música, assim como a apresentação do programa “Globo de Ouro”. Amigo pessoal de Cazuza, com quem tinha certa semelhança física, Corona morreu da mesma doença que o cantor. Curiosamente, o ex-vocalista do Barão Vermelho nasceu um ano depois que o ator, e faleceu também um ano depois, com a mesma idade.

Os últimos meses de Corona foram complicados. Já debilitado pela doença mas sem nunca admitir publicamente estar infectado com o vírus, o ator saiu de cena abruptamente na novela “Vida Nova”, e se recluiu na casa dos seus pais, se isolando de todos, até ser internado quando seu estado de saúde piorou. Morreu depois de passar nove dias no hospital, no auge da fama e com fãs que permanecem fiéis até hoje, como evidenciam os comentários nos diversos posts sobre o ator na internet.

Sergio Marcio (18 Posts)

Jornalista, roteirista e produtor cultural, completamente apaixonado por cinema e teatro, especialmente do Brasil, América Latina e Europa.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *